Arquivo da categoria: Baião de dois

Dicas de Pernambuco

Agora nas férias tive a oportunidade de viajar com a minha mãe para Pernambuco e aproveitar um pouquinho do clima quente e festivo da região.
Cheguei na segunda-feira em Recife e resolvi ficar um dia no local para conhecer a capital. Mas não foi uma boa ideia, pois na segunda, a maioria dos museus fica fechado. Contudo, conseguimos conhecer a famosa Praia de Boa Viagem, depois fizemos o passeio de Catamarã pelo Rio Capibaribe, conhecemos o Mercado São Sebastião, o “Marco Zero” e por último a Feira de Artesanato.
Mãe
No almoço, seguimos a dica que recebemos na “Central Turística” e fomos ao restaurante Paraxaxá. Maravilhoso. A decoração e a comida super típicas! Foi uma ótima pedida, pois a comida estava muito boa, o buffet com uma variedade imensa de pratos e o preço por quilo bem justo. Não aguentamos e tivemos que pegar um pouquinho de cada prato para experimentar: carne de sol, camarão, macaxeira, escondidinho, baião de dois e muito mais. Esse merece entrar no roteiro gastronômico de Recife! 
Parraxaxa
No jantar a minha amiga que está morando em Recife nos levou no Guaiamum Gigante, restaurante/bar que serve uma deliciosa casquinha de siri e um saborosíssimo caldinho de aratu (caranguejo) acompanhado de farinha de mandioca, e não arroz (minha mãe ficou esperando o arroz para se servir, coisa de paulista. kkkkk). Ah! E os pratos/petiscos e o chopp são bem baratos.
Guaiamum
No dia seguinte fomos para Porto de Galinhas, mais ou menos 1 hora de carro de Recife. Nos hospedamos no hotel Pontal de Ocaporã por indicação de uma amiga e adoramos. Muito aconchegante e super receptivo. A comida é gostosinha, mas sugiro aproveitar para conhecer os restaurantes da “vila” que são muito bons. Jantamos no primeiro dia no Restaurante Barcaxeira (indicação de outra amiga) e achamos tão bom que voltamos lá mais um dia. A maioria dos pratos individuais são bem servidos, então servem duas pessoas. O carro chefe da casa é o Escondidinho de Macaxeira que é servido em três tamanhos e com muitas opções de recheio. A sugestão aqui é o de carne de sol e não tem necessidade de pedir o arroz, pois a macaxeira já tem bastante sustância e na minha opinião não combina com arroz.
Escondidinho
Outro lugar gostoso para comer bem é o Peixe na Telha, lá a indicação é o prato que tem o nome do restaurante. Muito gostoso mesmo, o peixe fica bem firme e com uma casquinha deliciosa. O preço dos pratos nesses restaurantes já é mais salgadinho, mas ainda é mais barato do que a maioria dos restaurantes em São Paulo.
Peixe
No penúltimo dia fomos para Olinda, que fica mais próximo a Recife, mas também não é longe de Porto de Galinhas. Que cidade linda e com muita história! Aqui já tinha me programado para almoçar no famoso restaurante Oficina do Sabor, comandado pelo Chef César Santos. Ícone da gastronomia pernambucana, faz parte da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança que prima pela excelência e qualidade nos serviços. Realmente o restaurante traz a comida típica com o ar do gourmet que reflete nas opções do cardápio e também no atendimento eficaz. Começamos pela entrada com o Queijo Arretado de bom (Queijo de Coalho Assado com Ervas) e como prato principal aceitamos a sugestão do garçom e pedimos o Jerimum Recheado com Camarão e Lula ao Coco.
Queijo
O prato serviu bem três pessoas, só tivemos que pedir uma porção a mais de arroz. O prato estava delicioso, tempero suave e com generosos “pedaços” de lula e camarão.
Jerimum
Aqui o ticket médio já foi mais alto, R$ 80 por pessoa, sem sobremesa. Mas valeu a pena pela comida, atendimento e pela vista.
Tenho muito mais para contar de Pernambuco, mas essas são as principais dicas gastronômicas. Não se esqueça de incluí-las quando for conhecer Recife, Olinda e Porto de Galinhas. #ficaadica
Bjs!

Encontro Gourmet

603117_655623581126115_408997508_nNesse sábado aconteceu aqui em São Paulo no Nacional Club, local lindíssimo por sinal, o 2º Encontro Gourmet.

O evento foi idealizado pelas blogueiras: Sandra Reis, do “Caldeirão da Bruxa Solar”, Cecilia Padilha, do “Yes we Cook” e Dani Abolin, do “Cinebistrot“. A ideia foi repetir o sucesso do ano passado e proporcionar a nós blogueiras de culinária esse momento de interação.

Realmente foi uma ótima oportunidade para reencontrar amigos e conhecer pessoas que também são apaixonadas por comida, como as blogueiras: Monalisa, do “Diário sem Lactose”, Sadhia, “Artes da Sadhia na Cozinha”, a Rachel, do “Na Biroskinha”, a Monise, do “O Brigadeiro de Colher”, entre outras.

Além de conversar e trocar “figurinhas”, ou melhor, receitas… rs também tivemos a oportunidade de participar de diversos workshops promovidos por empresas parceiras.

O primeiro que participei foi o da LG. Me inscrevi porque achei o tema bem interessante: “Desmistificando a cozinha de micro-ondas” com o Chef Rodrigo Saraiva. Eu gosto de preparar algumas receitas no micro-ondas, principalmente pela praticidade e rapidez. Mas sempre rola aquela insegurança, se realmente não tem problema, se não faz mal à saúde. Coincidência ou não, foi justamente isso que o Chef comentou: que é apenas outro tipo de “cozimento” e que é totalmente seguro. Demonstrou o preparo de algumas receitas rápidas e saborosas, como a “Quiche de Presunto Cru” – adorei a ideia de colocar o pão italiano no lugar da massa. Nota 10! #lgourmet

Depois participei do workshop da Borges, com o Paulo Freitas que explicou um pouco mais sobre os azeites disponíveis no mercado e como escolhê-los. Confirmou que o importante não é a acidez e sim a origem da azeitona, o aroma e o sabor. Fizemos algumas harmonizações e fechamos degustando um sorvete de creme com “calda” de Azeite Aromático – Casquinha de Limão. Pareceu estranho no primeiro momento, mas surpreendeu. Então se esquecer de comprar a calda de chocolate pode apostar no azeite…rs

Para fechar com chave de ouro assisti ao workshop com o Chef Rodrigo, do Restaurante Mocotó (já escrevi aqui no blog sobre o restaurante) que apresentou duas receitas com aplicação do novo shoyu da Ajinomoto, desenvolvido exclusivamente para o paladar brasileiro: SATIS. São duas opções: Satis Suave, para pratos frios e Satis Intenso, para pratos quentes. Ele aplicou o shoyu em receitas que jamais pensaríamos: vinagrete (Satis Suave) e carne de sol (Satis Intenso). Ficou uma delícia! O Chef ainda ressaltou a importância de prepararmos uma receita saborosa, que é essa qualidade que temos que buscar quando desenvolvemos as receitas. Como ele falou, nada de palavras “sofisticadas”… a busca é pelo sabor!securedownload

Além de todo esse conteúdo ainda tive a oportunidade de saborear delicias e muitas novidades, como a água Gota (ideal para “limpar” o paladar), as pipocas gourmets “Pipó” e os inusitados bem-casados da Fina Nata.

Adorei ter participado desse encontro!!!

Foi maravilhoso e me despertou ainda mais a vontade de compartilhar com vocês o que comi por aí

1435_582407435147771_71909368_n

Até a próxima!

#encontrogourmet

#vemcozinhar

#eg2

Naná

Restaurante mineiro Gamela.

Depois de falar de um restaurante mais caro, como o D.O.M, vamos falar de um bom custo benefício?

Pois assim é o gamela: Comida mineira, caseira e farta!

Ele fica na Vila Mariana e é ótimo para quem quer comer bem e gastar muito pouco.

Sempre que vou lá como o escondidinho (mandioca, carne seca e queijo gratinado). Como acompanhamento, o prato traz também arroz, feijão, vinagrete e couve.

O prato para duas pessoas atende muito bem três pessoas (pelo menos três mulheres) e sai cerca de R$50 (menos que R$20 para cada um).

E aí, vai um escondidinho baratinho?

End: Rua Joaquim Távora, 1115 – Vila Mariana – São Paulo – SP / Tel: (11) 5082-3617

Uma rápida visita a Fortaleza / Baião de dois cearense

Mês passado, estive em Fortaleza e claro, comi muito !
Como recusar camarões, patinhas de caranguejo, bacalhau, castanhas, etc? Não dá !

Esta foi minha primeira visita a Fortaleza e das coisas que observei por lá, destaco:

1. Toma-se muito água de coco por lá (mais que na Bahia, pelo menos foi a minha impressão) – Ao chegar no hotel fui recebida com água de coco fresquinha, no restaurante todos bebiam água de coco, no café da manhã tinha água de coco, a tarde – água de coco…

2. Os sucos nos restaurantes são servidos em jarras de 1 litro – ou seja, se não for beber uma jarra, escolha um sabor que agrade outras pessoas e divida o suco!

3. Camarão é muito mais barato que em SP. (1kg ~R$25,00) – mas não vi tantos pratos com camarão por lá.

4. Castanhas são bem baratas também (R$16 – R$18 kg)! Trouxe 5 quilos ! hehe

5. Sapoti é uma fruta da região. Ela tem aspecto e gosto diferente de tudo que já comi. Não sei nem como explicar. Só sei que não gostei.

6. O baião de dois de lá leva creme de leite, na receita, e por isso é mais cremoso do que o baião de dois que eu já comia (é como um risoto). Achei bem gostoso por isso, compartilho uma receita deste baião aqui.

Ingredientes:

  • 02 xícaras (chá) de feijão de corda cozido somente em água e escorrido
  • 1/2 xícara (chá) da água do cozimento do feijão
  • 04 xícaras (chá) de arroz cozido ao dente
  • 01 cebola média picada
  • 04 dentes de alho picados
  • 100g de bacon picados
  • 01 lingüiça calabresa defumada em cubos
  • 04 colheres (sopa) azeite
  • 01 xícara (chá) queijo coalho em cubos
  • 100g queijo ralado (para salpicar depois de pronto)
  • 1/2 xícara de creme de leite
  • sal e pimenta a gosto
  • salsinha a gosto

Modo de preparo:
Aqueça o azeite e frite o bacon e a lingüiça – junte a cebola e deixe refogar um pouco e então adicione o alho. Acrescente o feijão e deixe tomar gosto e então coloque o caldo do feijão. Junte o arroz e misture até ferver. Atenção, como eu disse – este baião é mais úmido, então não espere toda água sair – deixe a mistura úmida. Junte o creme de leite, o queijo em cubos e a salsinha. Sirva salpicando o queijo ralado por cima.

Minha visita foi muito rápida, por isso espero em breve voltar para compartilhar mais detalhes dessa terra gostosa, com vocês !

:-) Eli